E-commerce fatura R$ 9,9 bilhões no Natal, alta de 13,5%

E-commerce fatura R$ 9,9 bilhões no Natal, alta de 13,5%

Baseado nas informações da Ebit|Nielsen, uma das maiores empresas de levantamento de dados no e-commerce brasileiro, foi constatado um crescimento nominal de 13,5%  em relação aos 8.7 bilhões do ano passado, esse crescimento é referente ao faturamento do e-commerce no período do Natal, que  em 2018 alcançou números aproximados a 9,9 Bilhões.

Dados como o crescimento do tíquete médio, que subiu para 8% (de R$457 para R$493), e o número de pedidos (Expansão de 5,2%, de 19,06 milhões para 20,1 milhões), mostram o quão expressivo e relevante o cenário de e-commerce tem se tornado dentro do território nacional.

As vendas realizadas no recorte entre 15 de novembro e 24 de dezembro foram escolhidas para a consideração deste levantamento, e isso inclui também o período referente a Black Friday, evento que corresponde a 26% (R$2,6 bilhões) de todo o faturamento correspondente ao setor nesse período.

Em comparação com as expectativas da Ebit|Nielsen para a época, os números obtidos no recorte da data alcançaram um valor bem similar em grande parte dos fatos, como a previsão de faturamento e crescimento das vendas. Já a estimativa para o número de pedidos era de 20,2 milhões (+6%), diferença de 0,8 p.p, e o tíquete médio de R$490 (+7%), diferença vista em apenas três reais mediante ao esperado.

Através da Black Friday, a semana do Natal foi potencializada, pelo fato dos brasileiros já estarem fazendo suas compras de presentes e desembolsando para si próprios desde a data da Sexta Feira Negra. A estimativa é que 18,3% do share financeiro de 2018 inteiro tenha sido representado nesse período, reforçando ainda mais a relevância dessa data na movimentação do setor, além de demonstrar seu potencial para continuar se expandindo nos anos subsequentes.

Os eletrodomésticos, perfumaria e cosméticos, moda e acessórios, casa e decoração e telefonia e celulares, foram os tópicos mais consumidos no e-commerce durante o Natal de 2018. Tendo os eletrodomésticos 14,4% de domínio entre os produtos comprados, perfumaria e cosméticos com 10,4%, moda e acessórios com 10,1%, casa e decoração obtendo 9,8% e telefonia e celulares com 7,6%.

O desempenho do e-commerce nesse segundo semestre traz um encerramento com “chave de ouro” nesse período de natal, fazendo com que se encerre com uma porcentagem acima do previsto pela Ebit|Nielsen no Webshoppers 38, onde esse crescimento se mostrou positivo, devido ao forte impulsionamento pela chegada de novos consumidores.
Um em cada seis usuários fez sua primeira compra online no ano de 2018, devido a expansão do mercado de smartphones, quase 10 milhões de novos usuários, o próximo passo a ser dado nesse momento é na fidelização desse público.

A preparação do varejo está cada vez mais eficaz, tal fator vem de uma maior quantidade de informações e investimento em novas tecnologias, fornecendo uma maior quantidade ferramentas de automatização de processo e inteligência artificial, tornando suas lojas virtuais mais rápidas e melhorando a usabilidade. Por fim, o consumidor pesquisa mais, se identifica mais e realiza compras mais seguras.

Mesmo como e-commerce se popularizando, alguns desafios são enfrentados nesse gerenciamento da cadeia de compras, pelo fato da popularização, a atenção com o pós venda e entregas tem se tornado cada vez mais intensa, fazendo com que os lojistas ampliem os ceps de entrega em todo o território nacional para realizar um atendimento mais completo após a realização das compras.

A próxima edição do relatório Webshoppers, que trará os números do e-commerce em 2018 e a previsão para 2019, será divulgada no primeiro trimestre do ano. Assim que sair este material estaremos postando aqui em nossas redes sociais. Aguardem!

 

Fonte: E-CommerceNews
Compartilhar